VILSON TADEI

CRAQUES & TÉCNICOS - A F"G"! inaugura a seção Craques & Técnicos. A idéia é registrar a trajetória de personagens importantes nestes 90 anos de história do Glorioso RIO PRETO EC, dentro e fora das quatro linhas.
I
E nesse caso, examinar a biografia profissional de Vilson Tadei impôe-se como uma obrigação ou quase isso. Afinal, talvez não haja outro personagem na vida do clube que sintetize de modo tão evidente o título da nova seção do blog.
I
Embora considerado um "andarilho do futebol", Tadei sempre encontrou no RIO PRETO EC uma espécie de porto-seguro.
I
Não que isso signifique apenas elogios e vida fácil. Ao contrário, as idas e vindas de Tadei revelam quão conflituosa é sua relação com o clube da Vila Universitária.
I
No entanto, revelado pelo RIO PRETO EC como craque e como técnico, o ex-meia lembra aquele bom filho que sempre volta aos braços dos progenitores. Que assim seja!
I
CRAQUE
Natural da vizinha Urupês (2/6/1954), Vilson Tadei despontou no RIO PRETO EC ainda com 17 anos. Então com vasta cabeleira (foto), o meia integrou o timaço do Glorioso que quase subiu em 1971.
I
Naquele ano, a equipe comandada pelo jovem técnico Carlos Alberto Silva chegou às finais da antiga 1ª divisão (atual A2), mas deixou escapar o acesso ao "Paulistão" na última rodada. Jogando no Parque Antártica, o "Glorinha" perdeu para o Catanduvense (0X1) e viu o Marília ficar com a vaga.
I
Depois de rápida passagem pelo rival América, Tadei voltou ao RIO PRETO EC para inaugurar sua respeitável galeria de títulos. Em 1973, sob o comando de Rubens Minelli, o Jacaré faturou o
Torneio de Seleção, organizado pela Federação Paulista de Futebol (FPF), conquistando assim o direito de disputar o "Paulistinha"(1).
I
I
A partir de então, Tadei iniciou peregrinação por vários clubes, retornando ao Glorioso em 2 ocasiões (1976 e 1989).
I
Em 1978, estreou no São Paulo FC, 1º grande clube de sua carreira. Fez 54 jogos pelo Tricolor do Morumbi e marcou apenas 2 gols. Sem se firmar na equipe, a diretoria são-paulina decidiu emprestá-lo ao Coritiba (PR) e, depois, vendê-lo ao Grêmio (RS).
I
Por ironia do destino, em 1981, Tadei sagrou-se Campeão Brasileiro em cima do São Paulo, em pleno Morumbi. Pelo Tricolor dos Pampas, faturou também o "Gauchão"/1980 e 2 torneios internacionais (El Savador, em 1981, e Vancouver, em 1984). Em 1984, foi bi-campeão gaúcho, desta vez pelo Internacional.
I
Após breve estadia no Vasco da Gama (RJ), seguiu rumo ao México. Lá, Vilson Tadei foi Campeão Nacional jogando pelo Monterrey.
I
Retornou ao Brasil em 1987 e, 2 anos mais tarde, voltou à Vila Universitária. No Jacaré, Tadei participou da grande campanha esmeraldina na Divisão Especial (atual A2) de 1989.
I
I
Naquele ano, o "Glorinha" deixou escapar o acesso mais uma vez. Invicto após 10 rodadas, o RIO PRETO EC perdeu 3 das últimas 4 partidas e viu o sonho de disputar o "Paulistão" ser novamente adiado.
I
Campeão Paulista da Segundona pelo Jaboticabal Atlético, em 1990, Tadei deixou o Jotão para encerrar a carreira de jogador em Jales, no ano seguinte.
I
TÉCNICO
Em entrevista recente (2/2/2009), Vilson Tadei admitiu que não pretendia seguir a carreira de técnico após ter deixado os gramados, em 1991. Pensava em ser empresário.
I
No entanto, diz Tadei, aconteceram "várias coisas na minha vida que tive que dar uns 360º. Tive que refazer meus planos e aí comecei como treinador e as coisas foram fluindo naturalmente e hoje já estou há 18 anos na estrada" (
confira a entrevista na íntegra).
I
Mais uma vez, foi no RIO PRETO EC onde tudo começou. "Carequinha", como passou a ser carinhosamente chamado (e nem é preciso dizer porque), dirigiu o Glorioso na Divisão Intermediária (atual A2) de 1991 e 1993.
I
Voltou à Vila Universitária 10 anos depois. Comandou o "Glorinha" no Paulista A2/2003, com uma campanha apenas mediana(2). Saiu no ano seguinte para retornar em 2005 e lutar contra o rebaixamento até a penultima rodada do Paulista A2(3).
I
O 1º título como técnico veio em 1995, dirigindo a Internacional de Bebedouro, com o vice-campeonato da Segundona. O 2º viria 9 anos mais tarde, à frente do Monte Azul, com o caneco da Segundona/2004.
I
Tadei levou ainda o Guaratinguetá para o Paulistão, em 2006, e o Linense para o Paulista A2, no ano passado. Pelo Elefante de Lins, também foi vice-campeão da Copa FPF/2007.
I
De volta ao comando técnico do RIO PRETO EC, Vilson Tadei tem a missão de levar o clube que o lançou como jogador e técnico ao Campeonato Paulista da Série A1. História e identidade com o manto esmeraldino não lhe faltam; tampouco apoio do torcida.
I
Tadei, estamos contigo!
I
FORÇA "GLORINHA"!
I
I
Confira a cronologia de Vilson Tadei como craque e técnico:
I
CRAQUE
1971 - RIO PRETO EC
1972 - América (SP)
1973/1974 - RIO PRETO EC
1975 - Penapolense (SP)
1976 - RIO PRETO EC
1977/1978 - Barretos (SP)
1978/1980 - São Paulo (SP)
1980 - Coritiba (PR)
1980/1982 - Grêmio (RS)
1982 - Santa Cruz (PE)
1982/1983 - Guarani (SP)
1984 - Internacional (RS)
1984 - Vasco da Gama (RJ)
1985/1986 - Monterrey (México)
1987 - Botafogo (SP)
1988 - Figueirense (SC)
1988 - Taquaritinga (SP)
1989 - RIO PRETO EC
1990 - Jaboticabal (SP)
1991 - Jalesense (SP)
I
CONQUISTAS
1973 - Campeão (
Torneio de Seleção) - RIO PRETO EC
1980 - Campeão (Gaúcho) - Grêmio (RS)
1981 - Campeão (Brasileiro) - Grêmio (RS)
1981 - Campeão (Torneio de El Salvador) - Grêmio (RS)
1984 - Campeão (Torneio de Vancouver) - Grêmio (RS)
1984 - Campeão (Gaúcho) - Internacional (RS)
1985/1986 - Campeão (Mexicano) - Monterrey (México)
1990 - Campeão (Paulista - 2ª divisão) - Jaboticabal (SP)
I
TÉCNICO
1991 - RIO PRETO EC
1992 - Sertãozinho (SP)
1992 - José Bonifácio (SP)
1992 - Jalesense (SP)
1993 - RIO PRETO EC
1994 - Jaboticabal (SP)
1995/1996 - Internacional de Bebedouro (SP)
1996 - Londrina (PR)
1996 - Operário (MS)
1996/1997 - Monte Azul (SP)
1998 - Jaboticabal (SP)
1998/1999 - Santo André (SP)
1999 - São Bento (SP)
2000 - Marília (SP)
2000 - URT (MG)
2001 - Olímpia (SP)
2002 - Barretos (SP)
2002 - Sertãozinho (SP)
2003 - RIO PRETO EC
2004 - Jaboticabal (SP)
2004 - Barretos (SP)
2004/2005 - Monte Azul (SP)
2005 - RIO PRETO EC
2005/2006 - Barueri (SP)
2006 - Guaratinguetá (SP)
2006/2007 - Trindade (GO)
2007/2008 - Linense (SP)
2008/2009 - RIO PRETO EC
I
CONQUISTAS
1995 - Vice-campeão (Paulista - Segundona) - Internacional de Bebedouro (SP)
2004 - Campeão (Paulista - Segundona) - Monte Azul (SP)
2006 - Acesso para Série A1 - Guaratinguetá (SP)
2007 - Vice-campeão (Copa FPF) - Linense (SP)
2008 - Acesso para Série A2 - Linense (SP)
I
NOTAS
(1) O "Paulistinha"/1973 era uma fase prelininar do "Paulistão" do ano seguinte e reuniu 14 equipes: Ponte Preta, América, Saad, Comercial, Botafogo, São Bento, Noroeste, Ferroviária, Marília, XV de Piracicaba, Portuguesa Santista, Nacional, Paulista e, claro, RIO PRETO EC. Apenas os 7 primeiros colocados se qualificaram para o "Paulistão"/1974. O "Glorinha" terminou na 11ª colocação, com 22 pontos, e retornou à 1ª divisão (atual A2) no ano seguinte, mesmo tendo terminado o "Paulistinha"/1973 à frente de outras 3 equipes (Portuguesa, Nacional e Paulista).
(2) Em 2003, o RIO PRETO EC terminou a 1ª fase na 5ª colocação do Grupo 1, com 19 pontos ganhos em 14 partidas disputadas (5 vitórias, 4 empates e 5 derrotas). Apenas os 2 primeiros colocados do grupo avançavam à 2ª fase. Cf.
PAULISTA A2 (2003).
(3) Em 2005, após fletar com o rebaixamento durante todo o campeonato, o RIO PRETO EC assegurou sua permanência no Paulista A2 somente na penúltima rodada, ao vencer o Bandeirante (3X1) em casa. Na última rodada, o "Glorinha" foi massacrado pelo CAT (5X1), em Taquaritinga, terminando na 8ª colocação (4 vitórias, 6 empates e 8 derrotas). Cf.
PAULISTA A2 (2005).
I
FOTOS
(1) 1973 - Vilson Tadei e sua vasta cabeleira (Acervo GazetaPress).
(2) 1973 - Em pé (da esquerda para a direita): Wilson , Carlos, Carlão, Zezé, o goleiro Jarbas e Tino - Agachados: Vilson Tadei, Tulo, Marquinho, Bita e Caravetti, antes da partida contra
A.A. Francana, válida pela final do Torneio de Seleção de 1973 (Acervo GazetaPress).
(3) 1989 - Em pé: Gaspar, Tonho, Gléber, Calixto, Edinho, Batista; agachados: Vilson Tadei, Cação, Candinho, Vital, Beto Rocha (Arquivo pessoal de Edosn Luís Maschio - Flash Bola/Diarioweb).
I
Fonte:
Grande Área, Milton Neves, Profissional da Bola, RSSSF-Brasil, SPFCpedia, Tribuna Região e Wikipédia.

3 comentários:

Jorge Costa disse...

Caro Clayton Romano
Valeu pelas visitas e os comentários no só súmulas e ter colocado o meu link no seu blog.
Valeu também pela correção na data da fundação do clube e que teu link está nos meus favoritos.
Boa matéria sobre o Vilson Tadei um bom jogador que vi jogar no Vasco da Gama no tempo do Dinamite. Tão informativa é a matéria que,claro com a sua permissão e os devidos créditos farei uma postagem na minha coluna "no fundo do baú" no blog futebol carioca e depois no só súmulas.
Já conhecia teu blog pelas muitas pesquisas que faço para os blogs e que que serei um visitante assíduo.
Um grande abraço deste teu amigo

clayton romano disse...

Grande Jorge!
Valeu pela visita. O pessoal da F"G"! manda agradecer também os elogios ao texto sobre o Tadei.
Olha, fique a vontade para publicá-lo como e onde quiser; é só não esquecer da gente na hora dos créditos.
Valeu pelo link do F"G"! no "Só Súmulas". Qualquer coisa, é só chamar que a gente atende.
Apareça quando puder!
Saudações Gloriosas,
Clayton Romano
Historiador - Editor F"G"!

roberto disse...

não sei por que em todo histórico fazem questão de pular a parte em que ele jogou no José Bonifácio ESporte Clube em 1991 -neste ano ele encerrou a carreira com o José Bonifácio campeao do Seletivo para a segunda divisão e neste mesmo ano ele passou a ser tecnico- chegou a acumular a funçao de tecnico e jogador nos jogos finais.
Então tudo o que dizem sobre o final de carreira e inicio como tecnico está errado- quem duvidar disto que pergunte a ele.
Roberto Hernandes Dias
Lins SP-